Logo da beegin
seu portal de investimentos alternativos

Preencha seus dados para acessar o conteúdo!

Enviando seus dados, você também receberá por e-mail conteúdos exclusivos em primeira mão.

Ao enviar, você estará concordando com os Termos de Uso e a Política de Privacidade da beegin.

nov 2, 2021
Mulheres apertam as mãos após firmarem investimento via equity crowdfunding
Compartilhe

Cada vez mais, os investidores podem buscar opções de investimento que vão além dos títulos de crédito ou da bolsa de valores. Entre os investimentos alternativos, uma modalidade interessante a explorar é o equity crowdfunding, também conhecido como crowdfunding de investimento.

Neste artigo, apresentaremos o equity crowdfunding e explicaremos todos os principais aspectos associados a esse investimento alternativo. Acompanhe!

O que é equity crowdfunding

Equity crowdfunding consiste no aporte direto em empresas de capital fechado — como startups — realizado por meio de plataformas online.

Essa é uma modalidade atrativa para pequenas e médias empresas, que precisam de recursos para crescer e poderiam ter dificuldades para realizar a captação pelas vias mais tradicionais, como um IPO na bolsa de valores ou acesso a investidores institucionais. Também é uma opção interessante para investidores, oferecendo um caminho adicional para a diversificação da carteira e a possibilidade de investir em negócios de impacto na sociedade.

Na maioria dos casos, o equity crowdfunding envolve operações em que o investidor torna-se sócio, adquirindo títulos conversíveis em participação societária. O próprio nome da modalidade está ligado ao equity, ou Capital Social, ao qual o investidor adquire uma participação. Porém, há outras modalidades de ativos disponíveis, como títulos de dívida.

Essa modalidade é um investimento alternativo. Portanto, apresenta características típicas dessa classe de ativos, como o alto potencial de retorno no longo prazo e a baixa liquidez, exigindo que o investidor esteja atento a essas características antes de começar a realizar aplicações.

Também é importante destacar que o equity crowdfunding é regulado por meio da Instrução 588/2017 da CVM. Portanto, esse é um investimento legalizado e aqueles que participam de operações estão sujeitos à fiscalização do órgão regulador.

Diferença entre equity crowdfunding e crowdfunding tradicional

O equity crowdfunding se aproxima do crowdfunding tradicional no método utilizado para a captação de recursos: as plataformas online. No entanto, eles se diferenciam em algo muito importante.

O indivíduo que participa de uma campanha de crowdfunding não é um investidor, mas apenas um apoiador. Ele não se torna sócio nem credor da empresa ou causa que apoia. Seus direitos se limitam, no máximo, a receber uma “recompensa” por seu apoio financeiro ao projeto, conforme os termos da campanha.

Enquanto isso, o equity crowdfunding é, de fato, um investimento. O participante torna-se sócio ou credor da empresa à qual cedeu recursos. Portanto, daquele momento em diante, ele terá todos os direitos e obrigações associados a esse status.

Como o equity crowdfunding funciona

Existem três agentes centrais em um processo de equity crowdfunding: 

  • os investidores;
  • a empresa, ou startup, realizando a captação de recursos;
  • a plataforma de investimentos alternativos.

Para cada um, existem aspectos específicos do funcionamento do EC que precisam ser observados.

Investidores

Na ótica dos investidores, o processo de equity crowdfunding é similar a outras modalidades de investimento em Private Equity e Venture Capital. A diferença, contudo, é que o investidor encontra as empresas para investir nas plataformas de investimentos alternativos autorizadas pela CVM, como a beegin.

Na plataforma escolhida, o investidor analisa as empresas que estão oferecendo oportunidades de investimento. Cabem, aqui, todos os cuidados associados a um investimento em Private Equity e Venture Capital: avaliar o modelo de negócios, considerar os resultados e as projeções da empresa, observar seus valores e suas práticas.

No momento em que o investidor identifica uma boa oportunidade, ele pode realizar a operação por meio da própria plataforma.

Normalmente, as plataformas seguem as seguintes etapas, com algumas variações:

  1. Cadastro na plataforma e análise de perfil: essa etapa determina qual o valor máximo permitido para investir, de acordo com as regras da ICVM 588/2017;
  2. Reserva de investimento: momento quando o investidor define qual o montante que pretende aplicar na oferta;
  3. Liquidação do investimento: quando o investidor transfere os recursos conforme orientação da plataforma e assegura sua posição na rodada;
  4. Assinatura do contrato de investimento: após a rodada de captação atingir o valor previsto, dentro do prazo estipulado, o investidor assina o contrato de investimento. Caso a rodada chegue ao final sem atingir o valor mínimo, o valor é devolvido ao investidor.

Empresas e startups

Na ótica das empresas que buscam captar recursos por meio de equity crowdfunding, o processo também começa com a seleção das plataformas online. A empresa identifica a plataforma em que deseja se cadastrar para ganhar visibilidade diante dos investidores.

Por um lado, a empresa escolhe a plataforma, buscando aquela que tem mais usuários qualificados e melhor reputação. Por outro lado, a plataforma também escolhe as empresas, aceitando o cadastro apenas daquelas que atenderem à sua tese de investimento e passarem sem restrições no processo de diligência. Essa é uma forma de proteger os interesses dos investidores. Por esse motivo, a empresa deve fornecer uma série de informações.

Depois de aceita, a empresa e a plataforma negociam os termos da oferta. Neste processo, também é envolvido o investidor líder, ou seja, o investidor que alocará ao menos 5% do capital levantado na rodada, mostrando aos demais investidores que a oportunidade é interessante. Entre esses termos, estão:

  • o valuation da empresa, isto é, a estimativa do seu valor;
  • o valor total da rodada de captação;
  • o prazo da captação;
  • o tipo de valor mobiliário a ser negociado, ou seja, se serão títulos de renda fixa ou de equity;
  • o valor mínimo e máximo por investidor.

Depois que esses termos são definidos, é aberta a rodada de captação. Então, a empresa pode começar a realizar operações com investidores interessados.

Plataformas

O processo de aplicar via equity crowdfunding, para as plataformas, começa muito antes da busca por empresas qualificadas para compor a lista de ofertas. Em primeiro lugar, a plataforma de investimentos alternativos deve estar devidamente cadastrada e autorizada pela CVM para operar investimentos dessa natureza. 

A partir de sua autorização, a plataforma atua como uma verdadeira ponte entre as partes interessadas em negócios promissores: de um lado, investidores qualificados buscando por negócios fora da curva para alocar capital; do outro, pequenas e médias empresas com bom potencial de mercado buscando seu primeiro aporte para crescer no mercado.

Panorama do mercado brasileiro de equity crowdfunding

O mercado brasileiro de equity crowdfunding está evoluindo rapidamente. De acordo com dados da CVM, em 2017 — ano em que foi criada a Instrução 588, que regulamenta a modalidade —, o volume de investimentos captado foi de R$ 12,8 milhões. Em 2018, esse número saltou para R$ 46 milhões e, em 2019, chegou a R$ 59 milhões.

Última semana para investir na Kuba

Em 2020, mesmo com a pandemia de Covid-19 e seus efeitos — em especial o sentimento de insegurança quanto à economia e ao desempenho das empresas —, o volume de captação em equity crowdfunding aumentou significativamente. Nesse ano, foram captados R$ 84,4 milhões: 

É importante lembrar que essa modalidade é relativamente recente. Ela ainda está se popularizando entre os investidores brasileiros. Portanto, os números devem continuar a subir nos próximos anos.

Vantagens do equity crowdfunding

O investimento em equity crowdfunding traz vantagens atrativas para o investidor interessado em diversificar sua carteira.

Alto potencial de retorno

A vantagem mais evidente é o alto potencial de retorno. Muitas empresas que buscam equity crowdfunding como forma de captação de recursos estão na fase de maior crescimento de um negócio. Assim, o investidor que se torna sócio e acompanha esse processo pode ver seu capital investido multiplicar-se várias vezes.

No entanto, é importante lembrar que o retorno ocorre em longo prazo e a liquidez é baixa. Em outras palavras, depois de realizar o investimento, pode ser necessário aguardar anos para realizar um exit com bom ganho de capital — isto é, para vender sua participação com lucro. Nesse meio tempo, não há um mercado secundário para negociar facilmente os títulos adquiridos.

Parte do esforço de construção de um mercado secundário começa a ser encaminhado com a aprovação da BEE4 pelo sandbox regulatório na CVM. A BEE4 é um balcão organizado de empresas emergentes, o qual investidores poderão negociar títulos de empresas com faturamento entre R$ 10 milhões e R$ 300 milhões, emitidos de acordo com o rito do equity crowdfunding.

Investimento em empresas de impacto na economia real

Outra vantagem significativa é que o investidor pode escolher as empresas em que vai investir, considerando seu impacto na economia real. Essa é uma forma eficiente de apoiar organizações que geram um impacto positivo para a sociedade.

As empresas podem seguir vários caminhos para gerar esse impacto:

  • adotar práticas rigorosas de sustentabilidade e ESG;
  • lançar novos produtos e serviços;
  • gerar emprego e renda;
  • dinamizar a economia de regiões ou áreas específicas.

Rodadas pouco burocráticas

Em comparação com outras formas de investimento em Private Equity e Venture Capital, as rodadas de equity crowdfunding são menos burocráticas. Depois que o investidor e a empresa estão devidamente cadastrados, todo o procedimento da operação é realizado por meio da plataforma online.

O investidor deve ter em mente, portanto, a importância de trabalhar com uma plataforma segura e confiável. Entre outros fatores, a política de proteção de dados é fundamental, já que são fornecidas informações pessoais sensíveis.

Possibilidade de investir em startups e scale-ups

O Equity Crowdfunding não é uma modalidade de investimento voltada apenas para empresas que estão apenas começando. Na realidade, a regulamentação da CVM exige um faturamento anual de até R$ 10 milhões para realizar captações nessa modalidade.

Isso significa que o investidor também pode ter contato com empresas que já estão gerando resultados, pois seus modelos de negócio já foram validados. Agora, elas precisam de recursos para escalar as operações. Ou seja, scale-ups, empresas com uma base sólida e uma perspectiva positiva de crescimento.

Apoio de especialistas

É importante mencionar uma vantagem do equity crowdfunding que não está associada com o investimento em si, mas com o meio utilizado para realizá-lo: as plataformas online. As melhores soluções disponíveis no mercado oferecem ao usuário o apoio de especialistas para selecionar empresas com potencial real.

A plataforma conta com uma equipe de originação e análise, que avalia as empresas mais a fundo, antes de aprová-las. Não se trata apenas de uma análise formal, mas de uma verdadeira diligência, realizada por profissionais, para identificar a perspectiva de risco-retorno das empresas.

Dessa maneira, o investidor não precisa realizar todo o trabalho de análise sozinho. Ao mesmo tempo, ele ainda detém o poder de decisão, já que a palavra final sobre em quais empresas aplicar seu capital pertence a ele.

Quem pode investir em equity crowdfunding?

Como explicado acima, há regras para quais empresas podem buscar equity crowdfunding. No caso dos investidores, a situação é um pouco diferente: qualquer pessoa pode investir, mas os valores são controlados.

Investidores que têm até R$ 100 mil em patrimônio investido podem alocar até R$ 10 mil por ano em equity crowdfunding. Enquanto isso, investidores com um patrimônio investido superior a R$ 100 mil podem alocar o correspondente a 10% desse patrimônio por ano.

Essa regra não se aplica aos investidores qualificados e profissionais, que podem investir livremente.

Dessa maneira, o equity crowdfunding é uma modalidade viável para qualquer investidor que queira diversificar sua carteira com boa perspectiva de retorno. Ainda assim, devido ao nível de risco e à complexidade das análises, esse é um investimento mais recomendável àqueles que apresentam um perfil moderado a agressivo e que têm conhecimento sobre o mercado financeiro.

Como investir em equity crowdfunding

Para investir em equity crowdfunding, o primeiro passo, como já destacado, é escolher a plataforma que será utilizada. As plataformas de investimento online oferecem muita praticidade. Elas possibilitam a realização de toda a operação remotamente, a qualquer hora e em qualquer lugar, com mínima burocracia. Além disso, permitem aproveitar oportunidades associadas a empresas maduras e em crescimento.

As melhores soluções disponíveis contam, também, com um time de especialistas responsável por avaliar as empresas antes de aprová-las. Dessa forma, o investidor tem segurança em relação à qualidade das ofertas que são realizadas na plataforma.

Neste artigo, apresentamos um investimento alternativo que oferece uma opção interessante de diversificação, pois apresenta potencial de retorno atrativo. O equity crowdfunding é uma modalidade que os investidores brasileiros ainda estão descobrindo, mas deve ganhar muito espaço nos próximos anos.

Gostou do artigo? Então, conheça a beegin e veja as oportunidades de investimento em startups e scale-ups abertas.

Por Equipe beegin

A beegin é o seu portal de investimentos alternativos. Acompanhe as tendências de private equity e venture capital.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *